Espinha interna: por que surgem e como tratar?

As espinhas são um pesadelo para muitas pessoas. Porém, quando são internas é ainda pior. Afinal, uma espinha interna é mais complexa, pois fica escondida debaixo da pele. Além disso, ela demora um pouco mais para ser tratada.

Não é recomendado espremer a espinha interna, uma vez que pode deixá-la ainda mais inflamada. Além disso, a espinha interna é mais dolorida do que a externa.

Se você sofre por causa de espinha interna, o ideal é procurar um dermatologista para iniciar um tratamento. São necessários cuidados especiais com esse tipo de espinha para não virar um agravante.

Espinha interna

O que causa a espinha interna?

A espinha interna aparece na maioria dos brasileiros, principalmente na fase da adolescência. Esse problema de pele pode se estender por toda vida se não for tratado. No geral, a espinha interna surge em pessoas que são predispostas a elas. Outros fatores que contribuem para o seu surgimento são as alterações hormonais, má alimentação, uso de produtos errados e a falta de higiene.

A espinha interna surge na parte interior da pele, fazendo com que ela seja difícil de ser removida. Por isso, ela necessita de mais cuidados e de um acompanhamento médico.

Como tratar a espinha interna?

Em muitos casos, o tratamento para a espinha interna necessita de antibiótico via oral. Porém, o medicamento só deve ser receitado por um dermatologista e, em hipótese nenhuma, se automedicar.

No entanto, existem algumas técnicas caseiras que podem amenizar a espinha interna e ajudar a removê-la. São elas:

  • Fazer uma compressa de algodão com água quente e deixar sobre a espinha por alguns minutos. O contato da água quente na espinha interna faz com que ela saia naturalmente;
  • Ao ferver uma água, deixe a espinha interna próxima ao vapor, pois os poros irão abrir e ela sairá aos poucos. Esse método também ajuda na remoção dos cravos;
  • Não tente disfarçar a espinha interna com maquiagem, pois os produtos podem deixa-la ainda maior;
  • Esfoliar a pele de forma leve, uma ou duas vezes por semana, tira as células mortas do rosto, ajudando a amenizar os casos de espinha interna.

Como evitar a espinha interna?

Já vimos como a espinha interna surge e as formas de trata-la em casa. Mas o mais importante é como evitar a espinha interna. Para que você não seja pega de surpresa por uma espinha no rosto, veja algumas dicas para não ter espinha interna:

  1. Lave o rosto três vezes ao dia;
  2. Não use cremes ou produtos que não sejam apropriados para o rosto e, em caso de hidratantes, prefira os em gel, pois eles não deixam a pele ficar mais oleosa;
  3. Não esprema, de forma nenhuma, os cravos ou espinhas inflamadas;
  4. Tenha uma alimentação saudável;
  5. Use protetor solar.

Com essas dicas a sua pele ficará mais bonita, saudável e livre de espinha interna. Mas, depois de seguir as nossas dicas, o problema com a espinha interna persistir, é necessário marcar uma consulta com um dermatologista. O profissional irá avaliar a sua pele, a situação da espinha interna e recomendar o melhor tipo de tratamento.

This entry was posted in Saúde. Bookmark the permalink. Both comments and trackbacks are currently closed.