Confira os 7 carros mais econômicos do Brasil

Os carros mais econômicos do Brasil não devem ser – e não são – lembrados somente em época de crise de abastecimento, com a qual o país sofreu recentemente. Há muitos anos que o combustível está caro em terras tupiniquins, seja qual tipo for. Ou seja, há anos que o brasileiro se interessa por carros mais econômicos.

Entretanto, o proprietário se baseia numa conta simples para avaliar o desempenho de seu veículo quando o assunto é economia. Para ele, basta anotar a quantidade de combustível no tanque e zerar o contador de quilômetros; depois de rodar um tanto, divide-se a quilometragem trafegada pela quantidade de combustível que sumiu do tanque.

Em termos mais visuais:

Quilometragem rodada = Desempenho
Combustível consumido

 

Mas o fato é que a coisa mudou um pouco atualmente. Com tanta tecnologia à disposição, o painel do próprio veículo em modelos mais novos já mostra o desempenho, além de outras informações importantes, para definir se o seu é um dos carros mais econômicos do país.

Então, o que mudou nos carros mais econômicos?

As sociedades atuais se preocupam com o meio ambiente. Carro é o objeto mais encontrado nas ruas do mundo inteiro; emite gazes; portanto, é também o objeto mais visado por cidadãos preocupados. O bom desempenho de um veículo, então, deve considerar igualmente os níveis de poluentes que deixa no ar cada vez que está em movimento.

Pois então, quais são os carros mais econômicos? Nossas pesquisas contataram diversas fontes importantes, como revistas especializadas e matérias de laboratórios de montadoras.

Antes, é preciso ressaltar que os cálculos de outras fontes podem estar agrupados em nível social de veículos: popular, utilitários, pesados etc. O demonstrativo abaixo considera a indústria de carros como um todo. Ok?

Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular

Antes de a gente ver os carros mais econômicos, conheça o PBEV. Você é proprietário preocupado com consumo de combustível e com meio ambiente. É motorista responsável e cidadão antenado. Então, conhece esse programa.

Está diretamente vinculado ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro. Participam também o Programa Nacional da Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural – Conpet e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – Ibama. Seu objetivo é justamente fornecer informações utilíssimas para que consumidores adquiram seus veículos na forma mais consciente possível.

Por outro lado, o PBEV incentiva também os fabricantes de veículos a se adequarem às necessidades ambientais e ao interesse público do cidadão em relação à melhoria da qualidade de vida social. Conheça mais sobre o programa aqui.

Os carros mais econômicos

carros mais econômicos

Estamos considerando aqui o consumo em gasolina. Pelas informações, você já terá base para calcular o consumo proporcional em álcool.

Toyota Prius – O danado faz quase 19km por litro de combustível.

Volvo XC90 T8 – O moleque é caro, mas é bom de rodagem: na cidade, faz 16,4 km/l; na estrada, 18,9 km/l.

Ford Fusion 2.0 Hybrid – Pra não falar de preço, eis outro muito bom de estrada: cidade: 16,8 km/l. Estrada: 15,1 km/l.

Volkswagen UP! 1.0 TSI – Os 14,3km na cidade e os 16,3km na estrada por litro é atrativo interessante, não é?

Chevrolet Prisma 1.0 – Se fosse gente, diria que é bonito e útil. Cidade: 13,1 km/l. Estrada: 15,8 km/l.

Ford Ka 1.0 – Compacto, bonito e econômico. Cidade: 13,5 km/l. Estrada: 15,7 km/l (gasolina)

Peugeot 208 1.2 Puretech – Das terras dos bons vinhos para as terras da boa caipirinha. Cidade: 14,8 km/l. Estrada: 15,8 km/l.

Seção bônus – Mitos sobre consumo de combustível

O assunto é meio complicado porque é técnico. Em meio a tudo isso, sempre surgem informações meio sem pé nem cabeça. Afinal, estamos na era das fake news.

Para evitar confusão, eis algumas verdades e mentiras sobre consumo de combustível.

  • Gasolina especial é menos consumida

Não. Em verdade, trata-se de… digamos… campanha de marketing. A gasolina especial facilita o trabalho do motor apenas, mas não reflete no consumo de combustível.

  • Calibragem alta diminui o consumo

Não. O que diminui – e, ainda assim, pouco – é andar com a calibragem indicada pela montadora, pois o motor vai trabalhar com a quantidade de ar adequada para a que foi construído.

  • Ar-condicionado aumenta o consumo

Sim. Apesar de as montadoras já disporem de modelos com aparelho elétrico, é grande o número de modelos de carro com ar-condicionado acionado diretamente pelo motor, resultando em maior consumo.

  • Velocidade interfere no consumo

Sim. Quanto maior a velocidade, maior é a necessidade de combustível (mais ou menos 20%)

  • Aceleração instantânea contribui para aumento de consumo

Sim. Pisar bruscamente no acelerador consume até 50% mais combustível durante a evolução da velocidade.

  • Combustível a álcool é mais barato

Nem sempre. Somente quando o preço do álcool corresponder a menos de 70% do preço da gasolina.

 

Pois então, é isso! E você pode ainda ter alguns cuidados para colaborar com o motor e fazê-lo consumir menos combustível. Troque o óleo e o filtro regularmente; não rode com os pneus murchos; verifique o filtro de ar; acelere lentamente, sempre no tempo do motor etc.

São ações simples que diferenciam o estado de sua conta bancária no fim do mês. Para melhor, queremos dizer.

Mas, antes de escolher o carro mais econômico em termos de combustível, lembre-se também de levar em conta outros gastos, como: valor do IPVA, que é pago junto com o DPVAT, além é claro do Seguro Auto, imprescindível para sua segurança.

Tem algumas dúvidas sobre os carros mais econômicos? Você consegue fazer seu carro consumir menos com alguma outra providência? Fale pra gente. Deixe seus comentários no campo abaixo.

A gente vai gostar muito de saber sobre sua experiência com seu carro.

This entry was posted in Finanças. Bookmark the permalink. Both comments and trackbacks are currently closed.