De revistas científicas a jornais digitais: veja as publicações famosas que abriram seu conteúdo ao público durante a pandemia do coronavírus

Em meio ao compartilhamento de fake news, poder contar com informação de qualidade é fundamental

O novo coronavírus tem mudado a rotina e a vida de milhões de pessoas em todo o mundo. Para lidar com a situação, uma das medidas mais recorrentes adotadas pelos governos é a quarentena, reduzindo, assim, a circulação de pessoas e, consequentemente, a propagação do vírus.

Visando manter a sociedade bem informada dos acontecimentos no Brasil e no mundo, além de conservar seu conforto em poder visualizar tudo de casa, várias revistas e jornais digitais têm liberado o acesso de seus conteúdos para não assinantes, sem cobrar nada por isso.

O mais interessante é que essa atitude contribui para uma maior conscientização da população de uma forma geral, evitando, em certa medida, a propagação de fake news e de informações nada confiáveis sobre o novo coronavírus.

Informação X coronavírus

Manter-se, minimamente, informado durante um momento tão atípico como o de agora, com a pandemia do novo coronavírus, é fundamental. O motivo é que, por desconhecimento, má-fé ou má intenção, várias notícias falsas, as famosas fake news, ganham as redes com uma velocidade tão grande quanto a do vírus.

Por isso mesmo que uma apuração jornalística se faz tão necessária, para poder checar os fatos, acrescentar informações complementares, bem como esclarecer questões que são mais técnicas para a população.

Além do mais, o trabalho jornalístico de busca por informações verdadeiras é também um tipo de prestação de serviço à sociedade, precisando ser feito com qualidade, liberdade de expressão e respeito ao profissional e à sua profissão.

Levando tudo isso em consideração, várias revistas científicas e jornais digitais do Brasil e do mundo têm oferecido conteúdo livre e gratuito para que já é assinante, ou não, facilitando, assim, o acesso da população a tais conteúdos.

Science e Nature

As famosas revistas científicas Science e Nature são dois exemplos de renome internacional que liberaram “o acesso a documentos e dados publicados sobre o coronavírus e outras epidemias, a partir de estudos que já estão sendo divulgados”, segundo o Jornal da USP. Tal medida auxilia, principalmente, os estudiosos do ramo da Ciência, porque essas publicações fornecem dados, pesquisas e artigos para esse público específico.

The New England Journal of Medicine

O Jornal de Medicina da Nova Inglaterra, em sua tradução literal, é uma das publicações científicas de maior peso na área médica. Sua opção foi criar uma página específica, oferecendo, dessa forma, vários recursos para pesquisa.

DotLib Brasil

A distribuidora on-line de conteúdo científico e acadêmico também aderiu à iniciativa de acesso gratuito, liberando livros digitais e bases para diversas áreas do conhecimento.

Jornais e portais brasileiros

Mas não são apenas as revistas e periódicos científicos internacionais que têm valorizado a iniciativa de liberar conteúdo gratuito para não assinantes. No Brasil, pelo menos 12 jornais têm liberado o acesso para notícias sobre o novo coronavírus. São eles:

  • Em São Paulo: Folha de S. Paulo;
  • Na Bahia: Folha e Correio;
  • No Ceará: O Povo;
  • No Rio Grande do Sul: GaúchaZH, O Correio do Povo e Jornal do Comércio;
  • No Paraná: Gazeta do Povo;
  • Em Santa Catarina: NSC Total;
  • No Espírito Santo: A Gazeta,
  • Em Goiás: O Popular.

Globoplay

O canal de streaming da TV Globo também foi colocado à disposição de não assinantes, oferecendo entretenimento para todas as idades durante a quarentena. São 30 dias para poder assistir filmes, séries e documentários gratuitamente no Globoplay. Assim, você garante muito mais diversão no conforto da sua casa.

This entry was posted in Dicas. Bookmark the permalink. Both comments and trackbacks are currently closed.