Melhores estratégias de Marketing de Relacionamento

Nas últimas décadas a publicidade viu o surgimento ou crescimento de várias estratégias comerciais, graças sobretudo à contribuição da internet. Uma das mais populares e promissoras é, sem dúvida, a do Marketing de Relacionamento.

O foco dessa estratégia é justamente o da retenção de clientes. Como se sabe, manter um cliente na base da empresa é muito mais prático, econômico e sustentável do que perder um comprador a cada novo cliente conquistado.

Além disso, o marketing de relacionamento reforça especialmente a questão do médio e longo prazo, fortalecendo a marca com o seu público. Se você quer entender como tudo isso é possível, siga com a gente até o fim da leitura.

Os fundamentos do marketing de relacionamento

É preciso superar a versão publicitária do marketing, segundo a qual ele só tem o papel de trazer clientes e fazer com que eles paguem por determinado produto ou serviço.

Um dos conceitos básicos e mais revolucionários do marketing de relacionamento é justamente o da “geração de valor”.

Sim, pois aqui quem busca valor é o cliente, que cada vez mais quer ter uma relação sólida e de longo prazo com as marcas com as quais se relaciona.

Ao superar as expectativas você consegue mais do que um simples comprador, elevando seu cliente a fã e defensor da sua marca. Esta é a grande diferença.

Alguém pode se perguntar: “Mas e se meu segmento de mercado lida com serviços esporádicos, como uma empresa de festas e eventos que aluga tenda para casamento?”.

Primeiro é preciso lembrar que há outras empresas da área que podem consumir e repassar seus serviços constantemente. 

Segundo, mesmo em se tratando do cliente final, ele pode não usar sempre, mas indicar seu trabalho, o que gera um retorno constante, sólido e bastante sustentável.

A identidade da marca e os bancos de dados

Quais são os modos mais práticos e efetivos de manter a satisfação constante da sua clientela? A primeira resposta para isso é a da identidade da marca.

Hoje se fala muito em cultura corporativa, a qual leva o antigo “Missão, visão e valores” a níveis ainda mais interessantes, dando à marca um rosto capaz de se relacionar com as pessoas como se fosse, ela própria, uma pessoa real.

Imaginemos uma clínica de beleza, que oferece tratamentos como o de luz pulsada rosto, o qual lida com a autoestima das pessoas e promete melhorias na qualidade de vida e até na saúde psicológica.

Uma empresa dessas não pode tratar o público como se oferecesse apenas um serviço a mais, não é mesmo?

Um modo prático de cada um se sentir único na sua empresa, qualquer que seja o segmento dela, é com o uso de um banco de dados. Algo que acumule informações como data de aniversário e histórico de compras, por exemplo.

Como lançar mão de um CRM a seu favor

O tema da base de dados merece aprofundamento. Afinal, quando o assunto é pré-venda e pós-venda diferenciadas, ela tem se tornado cada vez mais a ferramenta básica das empresas.

O melhor suporte dessa área são os CRMs, sigla para Customer Relationship Management, que nada mais são que programas de Gestão de Relacionamento com o Cliente.

Com uma base dessas é possível registrar:

  • Dados de contato;
  • Comportamentos padrões;
  • Endereço e afins;
  • Histórico de navegação;
  • Gostos do cliente;
  • Entre outros pontos.

Se um visitante tira dúvida sobre pergolado preço em seu site ou redes sociais, ele já pode se tornar um lead e ir para o seu CRM.

Dali em diante é preciso fazê-lo evoluir no funil de vendas. Lembrando, claro, que a relação não acaba após a primeira venda. Na verdade, entender que ela está só começando é a melhor estratégia de marketing de relacionamento.

O capital humano e o suporte ao cliente

Hoje se fala muito no “ciclo de vida do cliente”. Realmente é assim que a relação de médio e longo prazo precisa ser pensada.

Porém, além de softwares e tecnologias, é preciso que haja pessoas na empresa que sejam capazes de dar vida à cultura organizacional que você criou.

Hoje um dos cargos mais difíceis de contratar é o de CS (Customer Success), que é o profissional que dá suporte ao cliente com essa ótica inovadora.

Se a empresa oferece locação de empilhadeira, o CS precisa acompanhar o cliente desde a cotação, passando pelo período de entrega e adaptação do cliente, até o prazo que se aproxima do fim do contrato (havendo ou não interesse em renovação).

Com isso vemos como as melhores estratégias de marketing de conteúdo passam por conceitos teóricos, dicas práticas, tecnologia e até capital humano. E como tudo isso pode fortalecer sua marca em um mercado tão competitivo quanto o atual.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

This entry was posted in Marketing Digital. Bookmark the permalink. Both comments and trackbacks are currently closed.